Kaosnavial

Estacionado em um dos últimos engenhos levantados nos últimos anos da primeira parte do século XX, em Nazaré da Mata, PE, tenho a experiência de participar da construção de um filme. O filme trata do encontro de artistas de experiências diversas, de lugares físicos e culturais que se tocam tão superficialmente que, se pode pensar, eles não têm relação.
Filma-se o encontro de Jorge Mautner, autodenominado Filho do Holocausto, filósofo do Kaos, anunciador do Brasil como Almágama cultural de um novo tempo, com Mestre Zé Duda, poeta versejador que mestra o Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, PE.

Esse encontro é enriquecido com a presença de Nelson Jacobina e Valdi Afonjah. Nelson Jacobina e violonista e Guitarista que vem acompanhando as perfomances de Mautner desde os anos setenta com a Banda Atômica, e o segundo além do baixo famoso de Afojah, recifense que ganhou fama na Europa nórdica e vive no Rio de Janeiro. O encontro musical é completado com músicos do Terno do Maracatu Estrela de Ouro de Aliança ( Luiz Caboclo, Ederlan Fábio, Messias e Bob) e João Paulo, baterista do Ticuqueiros, grupo musical de Nazaré da Mata. Estiveram presentes a professora Isa Trigo, da Universidade do Estado da Bahia e TT Catalão.

Amálgama é uma idéia que Mautner encontrou em José Bonifácio de Andrade Silva, o cientista e Patriarca da Independência do Brasil, tutor do segundo imperador. Como filósofo, o militante político e cultural engajado, como se dizia nos tempos anteriores à ditadura militar e ao Movimento Tropicalista, Mautner toma esse conceito para compreender a cultura brasileira, não apenas como diversidade e multiculturalidade, algo para além da miscigenação e da democracia racio-social. Como outros, Mautner acredita que a experiência de convivência humana ocorrida no Brasil aponta para o futuro da humanidade, a sua possibilidade de superação das fronteiras para a garantia da sobrevivência da humanidade. O encontro dessas artes e artistas faz parte da construção desse amálgama.

O encontro entre Mautner,o Mestre Zé Duda e o Terno do Maracatu Estrela de Ouro vem sendo realizado já desde algum tempo; essa troca e complementação de sotaques, aproxima os muitos brasis, distanciados entre si pela geografia, pela economia, mas aproximado pelos laços culturais e por suas muitas maneiras de espiritualidades.

A Zona da Mata Norte foi palco de parte da vida de Frei Caneca, crítico do primeiro imperador do Brasil, especialmente no que concerne à imposição de uma constituição que diminuía a participação do povo e concentrava poder na pessoa do imperador. Caneca e Bonifácio apresentaram projetos para a construção da Nação e do Estado brasileiros, tinham algumas posições confrontantes, um pagou com a vida, o outro pagou com o exílio, ambos desgostaram o tirano. Fazem parte desse amálgama que é o Brasil.

O tirano que desgostou dos dois teóricos do Brasil foi seduzido pela Marquesa dos Dez Por Centos, popularmente conhecida como de Santos.

  1. Daniel Silva disse:

    Prezado Biu Vicente,

    Deve ter sido uma experiência muito frutífera viu.

    Aguardo o resultado final.

    Grande abraço.

Deixe um comentário