A formação

  

Estamos no início de julho e, não muito diferente das chuvas que caíram no solo da antiga capitania de Duarte Coelho, estamos sendo molhados, inundados com as informações de acontecimentos que estarrecem, como as cenas ocorridas em Pernambuco e Alagoas, nesse inverno de chuvas atípicas que tornaram públicas o resultado das ações típicas dos governantes que tomam o mundo como o seu quintal.

 

o grande ditador - photoescrita.wordpress.com

o grande ditador - photoescrita.wordpress.com

Na postagem anterior escrevi que Dunga e Maradona apresentaram um comportamento arrogante ao longo do período em que foram técnicos da seleção de futebol de seus países, e que eles aprenderam a comportar-se dessa forma por conta da observação e assimilação da maneiras de agir daqueles que governavam os seus povos enquanto eles cresciam como crianças e adolescentes. E se tiveram comportamentos semelhantes durante a Copa Mundial de Futebol Associado, sendo ambos mandados de volta aos seus terreiros na mesma fase, como se explica o comportamento diverso das torcidas brasileira e argentina quando da recepção dos ex-futuros campeões na África do Sul? Dunga e seus guerreiros chegando tarde da noite e desembarcando sob proteção policial enquanto Maradona e sua família eram recepcionadas aos gritos de viva, e quase ilimitada alegria confiante. Podem, e devem, ser dadas explicações diversas para a diferença das reações. Atrevo-me a dizer o que penso. Cresceram em ditaduras diferentes. Embora as ditaduras sejam bem semelhantes, elas e seus gerentes, possuem sua própria identidade. Será que alguém é capaz de encontrar, nos jornais da época, algum sorriso de Castelo Branco, Costa e Silva ou Geisel? É certo que Getúlio é um ditador de riso fácil – talvez zombando do jeito carioca que o levou ao suicídio – mas a quantidade de seu riso não supera o de Perón ou a graciosidade de Evita ou Isabelita. Além do mais, Videla conseguiu foi a “mão de deus” que garantiu a alegria do bicampeonato e todos los hermanos estavam felices por ter confrontado vitoriosamente a Inglaterra de Margareth. A cara séria e o cabelo “Jaquedemi” de Dunga lembra a carranca de Geisel, a incapacidade de dividir em público a dor dos seus “guerreiros”, saindo em silêncio para o túnel da História, assemelha-se ao comportamento de Figueiredo, o que desejou ser esquecido e não teve a coragem de entregar a faixa presidencial, pois sempre gostou mais dos cavalos que do povo brasileiro.

João Batista Figueiredo

João Batista Figueiredo

Já o comportamento de Maradona foi semelhante ao de Evita que, não escondeu sua doença e, ainda que nada mudasse na vida do povo pobre, acariciava cada um, sofrendo o seu sofrimento no sofrimento de todos. Ninguém vê em Dunga um amigo, todavia, Los Hermanos quierem Maradona como su Hermano. Marodona es Evita para El pueblo, Dunga evita o povo.

Evita e Juan Peron

Evita e Juan Peron

E por falar em ditaduras, onde anda o presidente do Brasil?

Teodoro Obiang, governa a Guiné Equatorial desde 1979 recebeu visita de Lula

Teodoro Obiang, governa a Guiné Equatorial desde 1979 recebeu visita de Lula

E por falar em levar  povo a sério, onde anda Gilmar Mendes e os “ficha suja”?

About the Author

Nascido em Carpina, na Zona da Mata Norte de Pernamabuco, cresci no Recife, onde fiz todos os meus estudos em escolas públicas. Sou formado em Teologia no Instituto de Teologia do Recife - ITER; licenciado em História pela UFPE, onde defendi dissertação sob o tema "A Primeira Guerra Mundial na Tribuna religiosa: o nascimento da neo-cristandade" e a tese doutoral "Entre o Tibre e o Capibaribe: os limites da igreja progressista na arquidiocese de Olinda e Recife". Publiquei Anotações para uma visão de Pernambuco no início do século XX, pela Editora Universitária UFPE. Sou pai de Ângelo, Valéria e Tâmisa,filhos de tereza; e avô de Rafael, Lucas, Tereza e Carolina . Agora sou pai de Isaac, filho de Manuela. Tenho pesquisado a cultura e a sociedade da Zona da Mata Norte de Pernambuco e dessas pesquisas publiquei Festa de Caboclo; Estrela de Ouro de Aliança, a saga de Uma Tradição; e Pretinhas do Congo, uma nação africana na Jurema da Mata Norte.