Arquivos

AS ENCHENTES, A COPA E O BRASIL

Meus amigos, reproduzo aqui o que escrevi para o Programa Canavial, apresentado em rádios comunitárias das cidades de Goiana, Vicência e Nazaré da Mata, todas na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Considerando que nem todos busquem no site o endereço www.biuvicente.com/programahistoriaecanavial resolvi colocar aqui o escrevi para os programas dos dias 2 e 3 de julho. Espero que gostem, comentem e visitem este outro espaço do meu sítio virtual. Tem muita conversa rolando. um abraço.

Biu Vicente

 

PROGRAMA CANAVIAL

EDITORIAL 72

AS ENCHENTES, A COPA E O BRASIL

Severino Vicente da Silva

 

Caros amigos,

 

Faz duas semanas que, após um “inverno fraco” a nossa região da Zona da Mata recebeu uma quantidade de chuva bem maior do que era esperado. Em poucos dias choveu mais que os meses de maio e junho. Essa grande quantidade de água surpreendeu muita gente que nos últimos anos construiu casas na margem dos rios. As águas trouxeram os rios de volta a seu leito e muita gente perdeu tudo o que havia construído nos últimos dez ou quinze anos. O sofrimento foi maior na Zona da Mata Sul. Mas a gente precisa saber que o sofrimento que muita gente está passando não foi causado apenas pela chuva e pelas águas dos rios. Vez em quando a gente usa a expressão “foi a última gota d’água” para lembrar que um copo não fica cheio apenas por uma gota, mas por muitas gotas.

Rio Siriji volta às suas margens, as que possuia antes das usinas Rio Siriji volta às suas margens, as que possuia antes das usinas – foto de Biu Vicente

 Assim, as chuvas, que aumentaram o volume das águas dos nossos rios, foram apenas a “última gota d’água”. As outras gotas foram a derrubada das árvores que ficavam próximo dos rios, foi destruição dos sítios com os pés de manga, as jaqueiras as goiabeiras e tantas outras árvores que forneciam frutas e seguraram as areias, a incompetência de nossos prefeitos que permitiram ocupações de áreas perigosas porque não consideraram os avisos dos geógrafos que para atender os desejos dos lucros das grandes empresas. Nessas chuvas, nessas enchentes, na Mata Norte ou na Mata Sul, sofrem os pobres, os que foram expulsos dos sítios, os que perderam suas casas para que mais canas fossem plantadas para mais álcool ser produzido. Agora é tempo de nos ajudarmos.

O Programa Canavial continua convidando a todos os que não foram atingidos pelas enchentes que auxiliem os que perderam suas casas. Nossa ajuda será o apoio necessário para que não se perca a esperança.

Também não vamos confundir os erros da seleção de futebol que Dunga montou com a nossa nação. O futebol é apenas mais uma paixão que nós temos e que tem sido usada pelos poderosos. O futebol é uma brincadeira que Dunga quis transformar numa guerra. O Brasil não perdeu nada, as empresas produtoras de cervejas que financiaram deixarão de ganhar o que esperavam.  O Brasil é maior que as enchentes que temos sofrido pelos erros dos nossos administradores; e o futebol do Brasil é bem maior que a legião de jogadores brasileiros que ganham fortunas na Europa.

Expulsando a Era Dunga, a que pensa que sabe tudo e não escuta a ningguém Expulsando a Era Dunga, a que pensa que  sabe tudo e não escuta a ninguém – foto tomada da bol.com

 

Texto escrito para os programas dos dias 2 e 3 de julho de 2010.

Curta e compartilhe:

2 comments to AS ENCHENTES, A COPA E O BRASIL

  • Pois é, pra variar conseguiram transformar o futebol em mais um mecanismo de manipulação. E como fala a minha mãe, mais uma “Mª” nesse mundo, e de origem interiorana: “o buraco é bem mais embaixo minha filha!”. Enquanto a bola RoLa, os EUA aproveita pra abafar o vazamento de petróleo no Golfo do México; os candidatos brasileiros articulam novas estratégias; e fica mais fácil culpar a natureza pelas enchentes, porque o telespectador está mais preocupado com o placar e a cervejinha, afinal pobre coitado assalariado, a copa trás a possibilidade de algumas horas de descanço (desse sistema escravocrata que se encontra), e até porque, o mundo pára. Blá, blá,blá, blá, blá… No país do carnaval louco é aquele que pensa em pensar! Rivotril na VeiA para todos aqueles que se deliciam lendo ilusões perdidas, lavoura arcaica, etc… não suportam mais os telejornais e jornais impressos prostitutos da oligarquia pós-moderna.

  • Geovanni Cabral

    De fato caro amigo, as enchentes provocadas na zona da mata sul de Pernambuco refletem o crescimento desordenado nas áreas que até então eram para estarem protegidas, pois nas margens de rios ou lagos naõ ficou para o homem construir suas casas. Até mesmo as sociedades do Oriente, como Egito e Mesopotâmia, eles construíam na parte mais alta com medo das enchentes e aproveitavam as margens inundadas para plantarem seus alimnetos. As enchentes como mencionas é fruto não de um momento da natureza apenas, mas das ações do homem sobre o espaço geográfico, este que pensa que pode mandar e desmandar usando a seu bel prazer. São os desmantamentos, as escavações das margens, a ocupação aos olhos das autoridades que fazem vista grossa. O resultado é este, caos e desolação, lágrimas e dor. De imediato correm elicoptéros, prefeitos e presidente, vamos ajudar, vamos liberar o FGTS, vamos contruir. Agora tudo pode ser feito, casas serão construídas, dinheiro liberado, por que tais ações não são feitas antes das tragédias? É preciso morrer, destruir lares para que a cidadania dessas pessoas sejam lembradas?? Da mesma forma o mar está mostrando seus sinais de furia, Poseidon não está nada amigavél com o homem e aos poucos percebemos que colocar muros de contenção na orla não está dando resultados. A natureza quer apenas o que tiraram dela!!

You must be logged in to post a comment.