Natal

Cresci sem Papai Noel. Sempre tive o Menino Jesus. Os presentes de final de ano, eram sapatos e roupas para as festas natalinas, roupa para a Missa do Galo, e para a Missa de ano, quando nos abraçávamos na igreja e depois íamos para casa.
Papai Noel foi chegando depois que já tinha passado a idade de ganhar presente. Minhas irmãs buscavam gravetos para fazer a árvore de natal, enrolado com algodão. fui sendo levado a imaginar a neve, mas o papai noel era o São Nicolau, o bispo que se preocupava com os pobres. Papai Noel foi crescendo com a criminalidade que acabou com a Missa do Galo, que era à meia noite, foi passando para a 10 horas. Agora a missa do galo acabou, o Menino Jesus é uma lenda distante e a festa de natal gira em torno de um velho gordo com as cores da coca-cola.
Natal não é mais nascimento, é mais triste que a música de Assis Valente questionadora da paternidade do velho de barbas brancas. É a tristeza alegre de uma sociedade por ter desgastado o presépio inventado por Francisco de Assis,
Assim, no meio dessa floresta de pinhos falsos pinçados de falsa neve, brinco com o Menino Jesus, procurando o Rei Baltazar, quase sempre lá fim do presépio, mas presente na festa do nascimento de Jesus.
GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS E
PAZ NA TERRA AOS HOMENS DE BOA VONTADE.

About the Author

Nascido em Carpina, na Zona da Mata Norte de Pernamabuco, cresci no Recife, onde fiz todos os meus estudos em escolas públicas. Sou formado em Teologia no Instituto de Teologia do Recife - ITER; licenciado em História pela UFPE, onde defendi dissertação sob o tema "A Primeira Guerra Mundial na Tribuna religiosa: o nascimento da neo-cristandade" e a tese doutoral "Entre o Tibre e o Capibaribe: os limites da igreja progressista na arquidiocese de Olinda e Recife". Publiquei Anotações para uma visão de Pernambuco no início do século XX, pela Editora Universitária UFPE. Sou pai de Ângelo, Valéria e Tâmisa,filhos de tereza; e avô de Rafael, Lucas, Tereza e Carolina . Agora sou pai de Isaac, filho de Manuela. Tenho pesquisado a cultura e a sociedade da Zona da Mata Norte de Pernambuco e dessas pesquisas publiquei Festa de Caboclo; Estrela de Ouro de Aliança, a saga de Uma Tradição; e Pretinhas do Congo, uma nação africana na Jurema da Mata Norte.