Em busca da democracia

Pessoas desacostumados ao exercício democrático estão sempre a cultivar o terror, seja à direita seja à esquerda. Dia 6 de novembro, um manifesto acusa alguns professores de serem “doutrinadores “e os ameaça”. Também ameaça alunos, e diz que irão expulsá-los da universidade. O manifesto ou panfleto não traz assinaturas, é anônimo.

No mesmo dia outro grupo publica nas paredes do CFCH retrato de um professor o acusando de “golpista”. Ameaça expulsá-lo da universidade. Este grupo publica até um telefone para contato.

Um professor agredido é uma agressão ao livre exercício da docência. É insuportável esse comportamento.
É lamentável que estejamos neste nível de incivilidade. Apoio aos prefessores nominados neste horrível documento. Sem medo enfraqueceremos o ódio.

A Universidade publica uma nota repudiando o documento sem assinatura. Nâo menciona o outro documento. Deveria ser mais isonômica

About the Author

Nascido em Carpina, na Zona da Mata Norte de Pernamabuco, cresci no Recife, onde fiz todos os meus estudos em escolas públicas. Sou formado em Teologia no Instituto de Teologia do Recife - ITER; licenciado em História pela UFPE, onde defendi dissertação sob o tema "A Primeira Guerra Mundial na Tribuna religiosa: o nascimento da neo-cristandade" e a tese doutoral "Entre o Tibre e o Capibaribe: os limites da igreja progressista na arquidiocese de Olinda e Recife". Publiquei Anotações para uma visão de Pernambuco no início do século XX, pela Editora Universitária UFPE. Sou pai de Ângelo, Valéria e Tâmisa,filhos de tereza; e avô de Rafael, Lucas, Tereza e Carolina . Agora sou pai de Isaac, filho de Manuela. Tenho pesquisado a cultura e a sociedade da Zona da Mata Norte de Pernambuco e dessas pesquisas publiquei Festa de Caboclo; Estrela de Ouro de Aliança, a saga de Uma Tradição; e Pretinhas do Congo, uma nação africana na Jurema da Mata Norte.