Comitê eleitoral

 

Estamos três dias após o fatal primeiro turno dessas eleições de 2010. Entre os muitos  segmentos da verdade chegamos à conclusão de que a opinião pública não tem saída no pensamento e nas práticas de  Luiz Inácio da Silva, aquele que decidiu não mais ser presidente dos brasileiros para ser cabo eleitoral de um partido político ou de uma coligação. Apesar de os institutos de pesquisas afirmarem que o presidente da república tem 80% da aceitação dos brasileiros, 60% dos eleitores disseram não à Luiz Inácio da Silva que ele deve voltar a trabalhar no cargo para o qual foi eleito. Infelizmente, o Lula resolveu fazer da sala da presidência espaço para reunião do partido de uma candidata, ou seja todos os brasileiros estão pagando o cafezinho do PT e apaniguados enquanto eles preparam a campanha. Antigamente eu diria que lentamente o lulismo está destruindo as instituições, agora ele já “perdeu a vergonha” e faz a destruição das instituições brasileiras. Agora nós os brasileiros não mais sabemos quando o Palácio do Planalto está funcionando para o bem do país ou está servindo para o interesse de um partido.

E não vejo ninguém dizendo que ele está errado em transformar o Palácio do Planalto em um comitê partidário. Está todo mundo com medo. E em uma democracia o medo não pode predominar.

About the Author

Nascido em Carpina, na Zona da Mata Norte de Pernamabuco, cresci no Recife, onde fiz todos os meus estudos em escolas públicas. Sou formado em Teologia no Instituto de Teologia do Recife - ITER; licenciado em História pela UFPE, onde defendi dissertação sob o tema "A Primeira Guerra Mundial na Tribuna religiosa: o nascimento da neo-cristandade" e a tese doutoral "Entre o Tibre e o Capibaribe: os limites da igreja progressista na arquidiocese de Olinda e Recife". Publiquei Anotações para uma visão de Pernambuco no início do século XX, pela Editora Universitária UFPE. Sou pai de Ângelo, Valéria e Tâmisa,filhos de tereza; e avô de Rafael, Lucas, Tereza e Carolina . Agora sou pai de Isaac, filho de Manuela. Tenho pesquisado a cultura e a sociedade da Zona da Mata Norte de Pernambuco e dessas pesquisas publiquei Festa de Caboclo; Estrela de Ouro de Aliança, a saga de Uma Tradição; e Pretinhas do Congo, uma nação africana na Jurema da Mata Norte.