Biu Vicente » Zona da Mata Norte

Arquivos

Família, infância, Capibaribe: meu rio

As manhãs têm as suas manhas. São essas pequenas passagens do tempo, o tempo do sonho em direção ao tempo da azáfama, do repouso para o movimento traduzido em sons e suores. O início da manhã carrega o fim da noite, o sonho que parece não ter acabado. Nesta manhã comecei com a paisagem distante […]

Homenagem a Zé Duda, a Garganta de Aço de Nazaré da Mata, Mestre de Maracatu de Baque Solto.

Uma das características das comunidades e dos grupos tradicionais é o respeito aos mais velhos. Eles são os guardadores das memórias de todos. Em sociedade de pouca ilustração literária, eles são o dicionário e a enciclopédia que tudo sabe. Eles são sempre simples, cessíveis e dispostos a dividir o seu conhecimento. Sua importância é tal […]

Mestre Antônio Teles, a rabeca de Condado

As criações culturais nascidas da criatividade de pessoas das camadas mais distantes dos centros de poder, quase sempre, são familiares. Quer dizer são pessoas da mesma família que produzem aquele tipo de cultura, aquela brincadeira, ou a dança, ou o jeito de cantar, ou jeito de tocar um ou vários instrumentos. Claro que sempre aparece […]

Festival Canavial e Dom Hélder Câmara

  O Direito de Celebrar   Manhã do dia 15 de novembro 2014. Sem grande participação popular, a República do Brasil começou a 115 anos. Um grupo de soldados, bacharéis e jornalistas afastaram a monarquia e desejaram construir uma nova maneira de gerir os interesses públicos. Mas desde logo se observou que parte do povo […]

Dois Mestres Pernambucanos

Estava a ler, em obra intitulada GESTOS E VOZES DE PERNAMBUCO, editado pela Universidade Federal de Pernambuco em 1970, obra do professor Luiz Delgado, no capítulo em que discute a participação de Pernambuco na Assembleia Constituinte de 1890, quando chegou ao meu conhecimento que havia neste dia, não acordara Doca Maurício, em sua casa, no […]

Centenário de João Vicente da Silva

  Centenário de papai Severino Vicente da Silva   Os dias seguem seus tempos, cada um com a sua ocupação. Gente mais doida pré – ocupar-se com o que virá é aumentar o viver com coisas que jamais viveram e, por anteciparem, jamais viverão. A vida tem seu tempo e, nós construímos algo no tempo, […]